7.9.15

sobre quebra de expectativas e a tentativa constante de aprendizado com o tempo presente

um ano de expectativas nutridas, amor envelhecido em barril de saudade, enfim nos abraçamos com o já esperado repúdio à intimidade de um corpo que só existia em ideia. seu toque segue o mesmo, mas as mãos trejeitam gestos outros, ritmos estranhos em sincronia com essa sua mente em outra distância, outro tempo até então agora.

sabe, durante muito o que fiz foi esperar. esperava e assim refletia para então talvez agir. agora é diferente. agora eu vejo e sinto e rebato quando necessário, sou frio quando quero ser, espero que compreenda o que digo, espero que compreenda o que posso.

eu dormia emaranhado na sua respiração e não pude sonhar direito. tua ansiosidade perpassava nosso colchão e eu finalmente entendia o quão pequena uma cama pode ser. eu levanto, ligo o ventilador e desloco-me à cozinha para comer um pedaço do chocolate. volto, deito, consigo enfim dormir. já não sonho. você está aqui.

Um comentário:

klebin klebits disse...

ok, hit me hard.
(e me lembrou de harry potter, sempre lembro, mas não "eat it (chocalate), you'll feel better"